Amigo de Deus

26/12/2015 10:30

        Não existe nada melhor do que ser amigo de Deus. Na verdade Ele quem decidiu, planejou e consumou o caminho para esse relacionamento nós nada fizemos, em nada contribuímos para que fossemos feitos amigos de Deus. Amigo é aquele que se envolve, que participa, que nutre o relacionamento, que se empenha em regar a amizade com aquilo que redunde em mais confiança e satisfação. Amigo não mensura o relacionamento com base na troca de favores, quando isso acontece não configura sincera amizade e sim conveniência.

        Ser amigo de Deus é um prêmio recebido sem méritos, é uma conquista sem esforços, mas também uma responsabilidade com sacrifício, a vida cristã é marcada por renúncias, atitudes que visam honrar aquele que nos salvou.

João 15:13 a 15.

"Ninguém tem maior amor do que este, de dar alguém a sua vida pelos seus amigos.Vós sereis meus amigos, se fizerdes o que eu vos mando. Já vos não chamarei servos, porque o servo não sabe o que faz o seu senhor; mas tenho-vos chamado amigos, porque tudo quanto ouvi de meu Pai vos tenho feito conhecer".

        Por que somos amigos Deus Ele dispensa à nos um favor especial, se revela como protetor, consolador, companheiro, ajudador, educador visando sempre o nosso bem. Essas são atitudes de quem é amigo. Se somos zelosos pelos amigos terrenos que possuem a mesma natureza pecaminosa e nada tem a nos oferecer além da fidelidade, como não poderíamos regar com muito mais afinco, mais determinação, mais entrega uma amizade que foi forjada com preço de sangue, sustentada pela Suprema Divindade, gerando frutos eternos, colocando-nos num patamar de participantes da natureza divina?

        A Palavra nos revela que Deus nos tirou da condição de apenas servos para participantes da sua natureza, seus amigos! Mas o que cabe a cada um de nós como parte ativa desse relacionamento? Qual deve ser a nossa efetiva participação nessa tão nobre condição?

1)                 Fidelidade

        Veja em Números 12: 6-8. Sigamos o exemplo de Moisés. A fidelidade de Moisés não se baseava na condição dele sempre ouvir a voz de Deus, pois todo o povo ouviu a voz do Senhor e presenciou os feitos milagrosos de Deus, mas mesmo assim não nutriam a fidelidade ao Senhor como Moisés. A fidelidade à Deus não pode ser mensurada pelo que Deus pode nos dar, pelo contrário ele se fundamenta naquilo que Deus é para nós.

        Veja também Salmo 101:6. Seja achado por Deus fiel até a morte como diz Apocalipse 2: 10 “…sê fiel até a morte, e dar-te-ei a coroa da vida”. Qual é a sua condição diante de Deus, fiel ou muito oscilante.

2)                 Comunhão

        Abra em I Coríntios 1:9. “Fiel é Deus, pelo qual fostes chamados à comunhão de seu Filho Jesus Cristo, nosso Senhor”. Comunhão é PARTICIPAÇÃO, mas participar do quê? Da vida, sofrimento e glória de Cristo. Veja que o texto diz que fomos chamados à comunhão, mas temos desenvolvido essa comunhão com Cristo? Temos efetivamente participado desse contato? O salmista Davi depois que experimentou comunhão com o Senhor, depois que experimentou andar sob a instrução de Deus, depois que aprendeu a confiar no Senhor pode declarar as seguintes palavras no Salmo 25:14 “a intimidade do Senhor é para os que o temem, aos quais Ele dará a conhecer a sua aliança”. Há tradução que diz o segredo do Senhor. O segredo ou intimidade gera comunhão como o Senhor. Como anda a tua comunhão com Cristo?

3)                 Imitar a Deus

        Como podemos imitar o Senhor? Como podemos imitar a Jesus que nem ao menos chegamos a vê-lo? Deixe-me fazer uma comparação. Muitos cientistas têm como exemplo de capacitação e superação o célebre Albert Einstein, todos os nascidos à partir de 1955 não conheceram, sequer o viram, mas o tem como alguém que merece respeito e um exemplo a ser IMITADO. Um homem que deixou um legado, um caminho a ser trilhado. Um homem que deixou uma imensa contribuição para a Física Moderna. Muitos cristãos gostam de certos pregadores da Palavra e se esmeram em tornar-se parecidos com eles, muitos cristão gostam de certos cantores evangélicos e se empenham em tornar-se parecidos com eles. Quantos cristãos têm se esmerado, se empenhado a ser parecidos com Jesus? Sendo amigos de Jesus, amigos de Deus temos que nos parecer com Ele. Efésios 5:1 diz: “Sede, pois, imitadores de Deus, como filhos amados”. Esse tem que ser seu objetivo na vida, IMITAR ÀQUELE QUE TE CHAMOU!

4)                 Amar a Deus

        Abra no evangelho de João 21:15-17. Quantas vezes Pedro negou a Jesus? 3 vezes! Agora quantas vezes Pedro confessa que ama a Jesus? 3 vezes! Quantas vezes você tem confessado que ama a Jesus? Jesus não está interessado em números, mas na qualidade da sua vida em ama-O. Gostar não é a proposta de Jesus para os seus discípulos e sim AMAR, amar a Deus, a Jesus de todo o coração de toda a alma de todo o entendimento e de todas as forças. Que tipo de amor temos dedicado ao nosso Mestre? Um amor superficial, circunstancial, emocional ou acima de todas as coisas e pessoas que consideramos importantes?

5)                 Obediência

     João 15: 14 – Obediência é a tônica no relacionamento para com Jesus. Jesus está descrevendo uma condição, SE obedecermos os seus mandamentos, SE andarmos nas suas ordenanças, SE ouvirmos as suas palavras. Parece ser algo extremamente difícil de alcançar, mas para nosso conforto veja o que o apóstolo escreveu sobre os mandamentos de Jesus em I João 5:2e3 “…ora os seus mandamentos não são penosos”. Tenha sempre em mente o que Jesus falou: …o meu jugo é SUAVE, e o meu fardo é LEVE”.

        Se você é amigo de Deus, então tem que desenvolver essas atitudes: Fidelidade para com Deus, comunhão com Deus, amar a Deus, imitar a Deus e obediência aos seus mandamentos. Está disposto ou é muito pesado o fardo?

Luiz Fernando Mendes Nunes

Voltar